Para ouvir (Aperte play)

Amar você

pura e simplesmente

como uma criança

quando tudo é novidade

Amar intensamente

Amor e amar




Linda história e inesquecível...
O sol e a Lua

Inesquecível...O Sol e a Lua...

sábado, 23 de julho de 2011



O amor é carinho
É sorriso, é pranto
É o coração batendo em descompasso
É um querer estar, mas não apenas por estar
É querer ficar, ficar juntinho
Cuidar
Falar, mas saber ouvir
Calar-se às vezes, mas sim para que se possa sentir melhor as batidas do coração

Por isso, choro cantando
Sorrio chorando, amando
Ouço abraçando
Pisco os olhos e posso sonhar toda uma vida
Deito e posso sorrir para as estrela e ter tanto pra contar
e então elas brilham ainda mais
A lágrima que corre pela face não durará mais que esta noite
Amanhã será melhor que o dia de hoje
E esta estrada estará diante de mim
E ainda terei a alma de Ana
Doce e perfumada como as pétalas de flores que jogo neste meu caminho

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Sonho meu...


Esta noite dormirei mais tarde
Ou talvez não durma
Não é insônia que me tira dos olhos o repouso
É o coração que cochicha
Sonda-me os pensamentos
Quer conversar... Quer lembrar
Quer sorrir... Quer chorar
Fiz uma constelação neste céu tão meu, tão seu...
Guardado na gaveta das lembranças estiveram
Sem identidade... Sem face
À procura não sai, não dividi, egoísmo meu...
Em querer-te um tanto bem e só para mim
Fiz-te sorriso e pranto
Fiz-te canção em seresta
E sob minha janela o som do teu violão
Fiz-te amor de meu amor, adorador de minha pele, beijos... Ah tanta coisa...
Amigo, e minhas mãos tocaram teu ombro.
Fiz-me deusa tua... Quantas inspirações...
O coração agora fala por mim o que ainda balbucio
É emoção de ver um sonho tomar forma
São estas as linhas que agora desenham o seu rosto
Não procurei e me encontrastes
Não dividi e me trouxestes em dobro
Estendeste a mão e tocou minha face
Ultrapassaste meu peito e acalentou minh'alma
Não... Eu não quero dormir...
Agora que aqui esta, tão perto
Agora que abriram-me os olhos
Não os quero fechados
Há tanto para sentir
Tanto para saber
Para falar...
Ah querido de minh"alma, sonho meu ...
Durmas e sonhes... E eu estarei aqui dando-te esta noite
Em sentinela velar-te ei o sono...
(

terça-feira, 12 de julho de 2011

FRIA MADRUGADA... (Um presente mais que especial)

Madrugada fria
Tal qual os momentos da vida
Noite escura
Obscura
Sem lua
Sem brilho
Sem melodia
Semi-nua
Faltaram-me a vida
O ar, ânimo,
Senti um aperto n'alma
Então chorei...

(Átila Ibáñez França)



Serena manhã
Os pássaros revoam sobre a alvorada
O gorjear lembram momentos da vida adormecidos e jamais esquecidos
Mas agora trazem em sol maior uma linda cantilena
O sol reluz por entre as frestas
Seus raios penetram o céu
Reluz sobre o jardim
Então da semente nua, faz brotar uma linda flor
Ela sente a vida
O ar que respira vem das tuas inspirações
O coração palpita linhas em segredo
Ela desabrocha
Então a alma transborda
E chora
Doces lágrimas de felicidades

(Ana Claudia Piffer)



sábado, 9 de julho de 2011

Os olhos teus


A cada instante de você e
volto no tempo...
Vi-me empalidecer a face, a voz calar-se num suspiro
mãos trêmulas
Extática, pasma, encantada
fulgores da adolescência
balada
Seu olhar...
Cor mesclada aos globos florescente
Como miragem no crepúsculo
Chama incandescente da lembrança
Página de um delírio primeiro
Chama insana e volta a ascender
Me deste dos teus olhos, me olha
Do teu olhar e me devora
Mira... Tatuagem na retina dos olhos meus
Ah... Foi o encontro do teu olhar
Olhos mais lindos, jamais verei iguais aos teus



Do hoje


Hão-me ainda tantas formas para dizer-te, amo-te, quero que as descubra como uma caixinha de segredos.
O óbvio e a mesmice de outrora, tornam-se encantadoras redescobertas.
As notas musicais envolvem-se e descobrem ao teu sorriso, novos acordes.
Nos teus lábios o sabor das frutas vermelhas, quero degustar do teu beijo o doce deleite de cada uma delas.
A estação multicolorida inspira-se à cor suave de tua pele, e nos teus olhos cores folhas da primavera.
Das frases arquitetadas, moldura de histórias.
A poesia fácil transbordando em mel e da boca ao encontro dos teus ouvidos.
Do desdém de minh'alma que afligia-me
Hoje somente na escrita, inspirações. E aprendo, aprendemos.
Dos confusos descompassos. O toque uníssono do coração junto ao teu peito.
Da intangível perfeição almejada. O simples toque das tuas mãos, teu colo.
Dos tempos que nos foram privados. Os afortunados momentos que nos resgata.
Do destino inserto. O caminho que nos permite retornar um ao outro.

Tempo de amar


Espalho meu corpo sobre a cama, meus olhos se fecham, mas não consigo dormir.

Meus sentidos congelam estes minutos que parecem não passar.

Ansioso como menino levado, o coração não descansa.

Sobre este silêncio delongado, busco em meus pensamentos outros últimos momentos que tivemos.

Então relaxo e como num sonho ouço teus passos vindo ao meu encontro, ouço a maçaneta da porta se abrir.

O perfume exala-se por todo quarto.

Sinto o toque das tuas mãos deslizando sobre meu corpo, como se o quisesse memorizar em detalhes.

Seu sussurrar por entre meus cabelos, tua boca insana implorando por meu beijo.

Teu olhar ardente desejoso, Tuas mãos insaciáveis por minha pele.

Teu corpo sedento sobre o meu.

Hostil as horas parecem minutos,

e nossos corpos num exercício inexausto em busca da ultima gota de deleite , por toda noite.

Então vejo teus olhinhos encontrarem aconchego nos meus braços,

tuas mãos pesadas ao amparo dos meus quadris.

Teu peito suado no encaixe das minhas costas.

Por algum tempo descansa.

O sol nasce, seus raios penetram por entre as cortinas, já é dia.

Então sem que me diga uma só palavra, esta aqui o teu sorriso, teu olhar, teu toque mais doce e encantado, quietinho mas assustado, tanto quanto eu...

O tempo lá fora à espreita nos espera, tem que ser assim.

Mas o nosso tempo a este amor declara, que não se cansa, não cessa e não tem fim.