Para ouvir (Aperte play)

Amar você

pura e simplesmente

como uma criança

quando tudo é novidade

Amar intensamente

Amor e amar




Linda história e inesquecível...
O sol e a Lua

Inesquecível...O Sol e a Lua...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Como vai você

Esqueça




















Você jamais vai desarrumar um quarto já organizado...
Veja o que sente cada vez que passa perto disso.
Você nunca mudou.
Nem mesmo acredita nisso e a quem quer enganar?
Eu consigo quase que exatamente saber o que pensa.
Você continua... continua... sei lá pra onde e pra quê!
Mais eu não estou disposta a nada, e muito menos a querer o teu mal.
Esqueça!
Por favor!

domingo, 4 de dezembro de 2011

Nosso

Eu sou tudo que você quer
Você é tudo que eu quero
No momento em que nossa absurda paixão
Desejo...
Nossa pele...
Nossas almas se encontram


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

domingo, 27 de novembro de 2011

Sorria!


Dizem que eu rio demais
Rio de tudo e nada
Da risada dos outros
E quando fico sem graça
Rio até quando estou chorando
Quando eu bebi um dia
Algo um pouco mais forte que um copo com água
Me disseram que fico ainda mais engraçada
Mais fala sério!
Sorrir faz bem a alma
Vai ver por isso sou assim
Feliz por tudo e por nada
Não que sem motivo
Pois só o fato de você estar respirando
Já merece infinitos sorrisos
Agradece mais a Deus
Reclame menos e sorria
É simplesmente um dom e bela demais
Para se desdenhar a vida.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011


Implorando pelos fragmentos da paixão
Adormeci em minha embriaguez...
Acordei de mãos abertas...e vazias
Nua...
Boca seca...
Gosto de fel
de ilusão...
Pensamentos quietos.
E sorri da minha inteligência desdenhada...
Alguma coisa mudou aqui dentro. Não sei explicar...
Eu não pareço mais estar em mim.






sábado, 5 de novembro de 2011

sexta-feira, 4 de novembro de 2011


Minha simples homenagem a esta pessoinha especial!!
(Átila, amigo querido)


terça-feira, 1 de novembro de 2011

A Ana (Ana Cañas)


A Ana disse ontem

A Ana ficou triste
A Ana também leu
A Ana não existe

É a Ana insiste
A Ana não consegue
A Ana inventou
Ela também merece

A Ana é azeda
Mas é doce quando é doce
A Ana é azeda
Mas muito doce quando é doce

A Ana nada sabe
A Ana sempre canta
A Ana me enrola
A Ana me encanta

A Ana se pintou
A Ana não limpou
A Ana que escreveu
A Ana se esqueceu

Foi a Ana que fez
Foi a Ana que foi
Foi a Ana em fá
Foi a Ana, foi

A Ana ama
A Ana odeia
A Ana sonha
A Ana canta

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Canção do exílio




Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar — sozinho, à noite —
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu'inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

(Gonçalves Dias)






Felicidade voltar...

Cada vez que ela voltava, mais entendia o tamanho do seu amor.

Como criança teimosa que chora... Se ia chorando pela estrada

Essas ruas contam a sua história.

Porque chorava, menina..

Ela que era simples de sorriso aberto num choro calou-se.

O que chorava era a esperança que agora anda cantando nesses lugares onde ela cresceu.

Tomando fôlego no vento... No tempo...

De braços abertos como se no mesmo instante em que foi deixado.

A menina para sempre haverá de viver e morrer feliz em seus braços.

(Nos braços de minha terra - Ana Claudia)

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Flashback 3 (Toto - I'll be over you)


A música "I'll Be Over You" foi um grande sucesso da banda de rock progressivo americana Toto. Lançada como single do álbum Fahrenheit, de 1986, alcançou a 11ª posição na lista da Billboard no outono daquele ano. Michael McDonald participou de sua gravação.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Flashback (1)





Simplesmente maravilhoso relembrar uma época inesquecível.
É como voltar no tempo e viver tudo novamente...
Morinho vai fazer parte de cada lembrança boa, pra sempre...
(zóim lacrimejando...aiai)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Flor selvagem


Há que possa existir no universo
um ser que ame a flor do campo.
Que ame por ser selvagem,
que ame sua timidez,
seus encantos,
seu cheiro suave,
Que apenas a ame.
Pois a flor selvagem, só é selvagem porque vive nos campos
e assim não seria se a colocassem no jardim,
e se seus regares não fossem das águas senão as que caem da chuva.
há quem possa amar a flor
pelo que ela é...
a amar simplesmente.

domingo, 25 de setembro de 2011

Cheia de graça - Ana


Tu estavas em plena lagoa
navegavas em um barquinho de papel
Sonhei estar contigo
No meio da lagoa a remar
O amor é tão leve
Que nos faz flutuar
Feito pluma de mungubeira
Suavemente sobre o rio
Soprado pelo vento
Com o frescor da vida
E a pureza do amor
Que ora sonho
Tão perto e distante
De estar acariciando-te
E meu sonho debatendo-se
Para concretizar-se
E tu deixando-me uma lacuna de saudade
ANA; nome hebraico
Cheia de Graça E teimosa ao mesmo tempo
De personalidade ativa e decidida
Que faz da vida um desafio
ANA; lider de natureza
Que ama por toda vida...



(poema escrito em 18/09/11 - 22 horas e cinco minutos - domingo * dedicado a Ana Claudia)

sábado, 24 de setembro de 2011

Tende bom ânimo.(reflexão)



Amanhã... no tempo certo... e tudo passa...
Tudo se ajeita.
Preciso sempre estar acalentando meu coração de bom ânimo, de esperança, coisas boas e certas.
Não vindo de mim, ser humano, errante e que nada sabe, mas vindo através daquele que nos leva a sabedoria... e que me move.









Espaço vazio...



Saudade de quando tudo era apenas sonhos...
De quando não havia maldade nas pessoas,
ou se meus olhos eram inocentes demais para as enxergar.
Saudade do meu sorriso fácil e de todas as coisas simples que me surpreendiam.
Saudade até de quando diziam de eu ser careta.
Do meu mundinho de sonhos moldados tão felizes, perfeitos e apenas meus.
É um previlégio quando temos alguém para aconselharmos ou podermos aconselhar. E até mesmo dar uma bronca.
Saudade de quando não precisava me justificar do quanto sou assim. De que ainda sou a mesma menina.
Foram seus olhos que mudaram quando não percebeu que o mundo mudou, e que você
também mudou quando deixou de acreditar no que sempre existiu dentro dos meus olhos.
E aquele espaço que você foi deixando sem ao menos se importar... agora está vazio...



segunda-feira, 19 de setembro de 2011

sábado, 17 de setembro de 2011

Lampejos poéticos, registros especiais.


Clave de sol
Você é doce melodia aos meu ouvidos
Eles se aveludam quando ouve o que é vindo dos seus lábios,
Mesmo quando apenas para mim escreves,
Sinto através desta máquina fria a suavidade de sua boca.

Nesse seu jeito de sentar, de cantar e encantar,
De balançar a cabeça e os cabelos num balanço suave.
Corpo belo, torneado e longilíneo.
Rosto singelo, olhar de mistério, preservando os segredos que apenas você os convive.

Você...
Apesar dessa ansiedade de viver,
És a pureza da fonte das águas cristalinas
mais distantes desta civilização.


(Um presente de um amigo querido e especial)

terça-feira, 13 de setembro de 2011

E no "RITMO DA CHUVA" regando o amor, faz de mim "APENAS FLOR"






Muito feliz! Foi realmente um sonho estar ao lado da minha prima querida fazendo o que mais gostamos. Com a participação especial do nosso amigo Miléo, se bem que... Acho que a participação foi nossa...rs (ele toca muito!). Num ambiente gostoso, com pessoas bacanas.
agradeço a Deus, a minha família e amigos pelo incentivo (verdadeiro).
Abraço bem apertado a todos!
E como a vida anda é pra pra frente, cá estou curtindo este momento e a espera de muitos outros . Eitha que agora não quero mais parar! rs :D


"Minha poesia e música é a alma que transborda em bálsamo, aspergindo sobre as entrelinhas."

domingo, 4 de setembro de 2011

A fotografia

Os dedos a tatear o objeto frio.
A posição exata, e esse pensamento determinando sobre a melhor imagem.
Capturando as cores frescas e o calor na natureza.
Meus olhos agora, daqui contemplam cada detalhe e a paz através da imagem.
E neste instante que meus olhos congelam sobre esta linda e singela paisagem, posso sentir num toque suave das minhas mãos sobre estas flores selvagens e delicadas.
Meus pés descalços caminhando em direção a estas águas límpidas que lavam a alma.
Com o vento batendo no rosto, diante a esta perfeição, nada mais reconheço senão a vida e o grande milagre superior.






Guile, promessa cumprida dai e daqui. Obrigada pela foto, lindo presente viu...
Tenho certeza que não foi nenhum esforço pra você tirar foto de um paraíso desse, como pra mim também não foi nenhum esforço fazer este comentário poético sobre esta foto tão inspiradora. Perfeição no desenhar desse único e maravilhoso Deus.
Espero mais fotografias desses lugares lindos que tem estado e do nosso país também que guarda paisagens perfeitas. Vai ter sempre um cantinho especial aqui pra suas fotos.
Beijos e vem logo pra cá homem! Vamo arranhar o violão que tâmo aqui ficando craque, acho que dá até pra uma palhinha num outro showzim daqueles! maravilhoso! (hehe)
então até...


sábado, 3 de setembro de 2011

O dia




















Despertar... abrir os olhos.
Cara limpa... Êh! Que depois dos trinta tem pesado viu... Espelho malvadinho!
Afinal não sou Gisele BÜndchen, mas como ninguém está aqui pra modelar, nada que uma maquiagenzinha não ajude...rs
Um café bem quente e doce.
Trabalho e trabalho.
O dia passa tão rápido que nem parece ter mais as 24 horas.
Dá até medo de não cumprir os sonhos, as metas.
Mas vamos lá, não da pra parar.
No final do dia o corpo esta tão cansado, um trapo, mas a alma esta limpa e inteira.
Complicado é esse horário que me sobra para o deleite de escrever e ler as postagens dos amigos.
Preciso acampar cabana com o rebentinho( fugidinha)... carinhos e love. É tão simples e fácil quando se esta perto, tudo e das-se o famoso jeitinho de ficar ainda mais pertinho, digo sim para felicidade.
O resultado de tudo isso...
Durmo contente e acordo feliz.
Preciso desse meu amor e ânimo todos os dias dentro de mim...
Obrigada meu Deus! Acho que já posso levantar e ir...


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Não precisa (Paula Fernandes, Victor e Leo)





Além de ser cantor e compositor, Victor Chaves é um grande poeta, e na minha opinião é um dos homens mais lindos do Brasil, é a segunda voz mais linda.

FLOR DO CAMPO

Autor:Victor Chaves

Minha linda, meu amor, meu sabor, minha vida

flor do campo, te desejo
Deixa eu te cheirar

Eu não sei falar de outra coisa a não ser de amor
Perdoa se o que tenho pra oferecer é só amor
Eu só quero você e que você me queira

Maravilha é abrir um sorriso sem fim, de repente
E, sem ter certeza, dizer-me que sim e o que sente
Eu só quero você e que você me queira

Fogo frio, neve quente, venham me queimar
Calafrio, mão dormente
Quero te beijar

Eu sei que por vezes a vida parece tão vazia
E as coisas nem sempre são como a gente gostaria
Eu só quero você e que você me queira


Maravilhosa apresentação no dvd da Paula Fernandes! Sou fã!!
Uma show de beleza e voz. Lindos!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Não deixe o amor passar...(Uma mensagem muito linda ao amor verdadeiro do nosso eterno poeta Carlos Drummond de Andrade))



Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.

Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.
(Carlos Drummond de Andrade)
S2
E como sou chamada poetisa do amor, ai vai minha homenagem honrando a parte que me cabe, nada mais justo que homenagear meu grande poeta. Beijos!

terça-feira, 30 de agosto de 2011





















Por que amar da trabalho...
Mas é tão bommm...

C♥rinho
H♥mem
M♥lher

(morinho... morinho...)

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Presença


Quando existe sensibilidade, tanto a alegria ou o pranto é um momento de se ouvir, compartilhar.
Sendo que um simples gesto pode devolver um lindo sorriso.
É constrangedor quando sentimos vergonha do nosso pranto perante aquele que o ouve, é como um eco perdendo-se em labirintos.
Não tem que haver culpa, nem vergonha quando uma tristeza ou alegria quer desprender-se da face, mas há momentos em que nos sentimos assim, constrangidos e culpados. Por sermos poucos acolhidos quando demonstramos nossa fragilidades e de que somos seres humanos e que temos momentos ruins que precisamos de um ombro, de uma palavra. Ou simplesmente uma presença.
A sensibilidade de saber ouvir não esta no coração de todos.
Pois ela nasce da nossa alma, não há como fingi-la.
Esta no olhar que se vê, no toque sensível, na voz, no carinho.
Ou apenas no fato de se fazer presente.
Sei o quanto é grande a sua experiência e que poderia dizer mil coisas.
Me dar um conselho... Mas como dizer de algo que não sabia ao menos o por quê.
Então sem maiores perguntas você se fez presente e aquela lágrima tornou-se água doce, lavando a face.
E o soluço escondeu-se por detrás do terno branco e do vestidinho de camponesa que me contastes.
Eu lhe pedi no meio da praça, sentada no banco em meio as lágrimas, na noite fria de solidão, para que apenas me trouxesse uma história que me fizesse sorrir.
E me trouxestes mais que uma história... A tua companhia.
Então eu não estava mais sozinha, havia uma alma sensível, amiga, e do meu lado ouvindo junto em silêncio o ruido de uma lágrima cair... Um sorriso se abrir.



sábado, 13 de agosto de 2011

Pai eu te amo tanto...



Nesse vem e vai que a vida me castiga
Me ensina...
Uma tristeza trago comigo
De saber que não te terei ao meu lado por toda vida
Mas em meu coração terei sempre uma certeza
Amigo em todos os momentos
Que me repreende e me abraça
Velho de guerra...
Só você... meu pai

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Trinta e tantos...


Eu aprendo...

Não é por falta de inspiração que não devo postar uma poesia hoje. É que vou tentar falar um pouco sobre ter trinta e tantos anos.

Eu poderia dizer que aprendi, mas não é apenas isso que quero dizer. Então vou escrevendo para ver o que dá...

É engraçado, que às vezes rio sozinha. Eu e minhas caraminholas... Mania de analisar tudo e pode ter certeza que sou a primeira da lista. E mesmo assim cometo um monte de besteiras com esse meu jeito atrapalhado.

Me lembro que aos quinze anos de idade, eu fazia uma ideia muito diferente do que era passar dos trinta.

Ah meus quinze anos... Fase interessante, em que tudo parece possível, até as mais absurdas imaginações, confesso sempre ter tido a imaginação muito fértil, ela quase tinha vida própria. Eram sonhos aveludados de inocência.

Quando me imaginava com o tal dos “trinta”, o que passava pela minha cabeça, estar casada, ter filho da minha idade e quem sabe até netos. Estar no final de tarde sentada na minha cadeira de área fazendo um tricozinho, alguns bordados. Como já diz tudo acima, imaginava que aos trinta, seria uma quase que idosa. Já realizada, com os pés bem fincados no chão.

Bom, para minha decepção ou não, os trinta me chegaram, e sabe quando aquela ruguinha começa a te incomodar? Pois é, mas não é apenas isso. Por que estética dá-se um jeito. O pior é chegar a essa idade e perceber que você não muda drasticamente, ao ponto de se transformar em outra pessoa, apesar das decepcionantes rugas refrescarem a memória todos os dias diante do espelho, de que o tempo passa.

Às vezes me pego a pensar e analisar algumas situações, então percebo que os quinze anos reina vez em quando. Não que isto seja totalmente ruim, afinal tudo conta como experiência, mas confesso alguns arrependimentos.

Eu aprendo...

Chegando aos trinta, conheci o mundo virtual, olhei o mundo da minha janela de computador. Algumas situações me entristeceram, indiretamente magoei e me magoei também. Mas passada a tempestade estou bem.

Por outro lado tive experiências boas, me encontrei na essência da poesia, pude colocar ao mundo frustrações e alegrias em forma de poesia, encontrei pessoas bacanas nesse caminho. Pude enxergar o quanto era pequeno o mundo em que eu vivia. Então me desfiz da promessa feita.

Viajei, conquistei com meus próprios méritos um espaço para fazer o que gosto e com isso meu sustento.

Passei férias com as primas, e foram os dias mais incríveis que já tivemos. Fizemos tatuagens iguais, selando assim amizade eterna. Imaginem só...Coloquei piercing!

E o mais incrível, a vida se encarregou de me trazer numa caixinha de surpresa meu reencontro com meus quinze anos nos olhos de um antigo e grande amor. Ouvi quietinha com os ouvidos do coração, e o mal entendido desfeito, perdoei. E digo que isto é uma dádiva e faz tão bem.

Tomei cerveja e fiquei bêbada e com isso descobri que choro e sorrio ao mesmo tempo fazendo as pessoas rirem ainda mais, porque nem assim deixo de ser chorona e risonha.

Soube o que é dor ao sentir o que é saudade de verdade. Tive ódio e amor ao mesmo tempo. Disse "Nunca mais" e voltei atrás.

Fui apresentada ao meu próprio corpo e com muito prazer me tornei mais mulher.

Me vesti, me maquiei, e me senti viva. Dancei e paguei mico ao perceber que "Discoteca" hoje é "boate".

Cortei os cabelos compridos, tingi pela necessidade de cobrir os primeiros fios brancos.

Retomei aulas de violão, e vejo que a poesia cantada é simplesmente linda, esta na minha alma.

Conheci a minha raiz poética, e lembrei ainda mais da minha adolescência, do livro roubado da biblioteca, que travessura! Das horas que passei lendo e tentando entender aquelas frases que falavam tanto de mim. Fiquei imensamente feliz em saber que ela esta viva, nunca a procurei, mas ela me encontrou, e me ensina com sua delicadeza, quando toca, quando canta, quando fala a mesma língua. Que homens também podem ser sensíveis e nem por isso deixar de ser homem. Quando me faz perceber que o minha simplicidade e a minha gentileza, pode tudo transformar e somar grandes amizades. Que escrever não é futilidade, mas ainda não da pra ser minha prioridade.

Aprendo a ser melhor mãe, filha, amiga, apaixonada pela vida, por mim e por tudo que me rodeia.

Confesso que ter trinta anos, não é ser outra pessoa e nem precisa ser assim. De vez em quando os "quinze anos" me atormentam, mas eu paro, penso e digo "Você não é mais nenhuma adolescente!" rs

E por outro lado, também faz bem porque percebemos que com a idade adquirimos experiência, mas de verdade! Não deixamos de sonhar. Os desejos e sonhos não envelhecem.

Para ser feliz não tem idade se o coração pulsa forte dentro do peito.

Assim e desse jeito quero ter meus quinze anos, nos trinta e tantos, sessenta e tantos, cento e tantos...Ops! Ou até quando não mais puder o coração sustentar essa eterna menina.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Restos...




Não, não são as mãos que batem à porta
Ou a voz que grita
É o vento frio que geme em meio ao silêncio delongado
As horas são quietas
O nome... emudecido...
Qual a primeira letra...
Qual a rima...
Ela vagueia por entre as folhas
Atrás da porta que o silêncio batia...
Na voz fugidia que não saia...
No canto branco da folha..
Que de tão só...
morreu fria e vazia








"Quando não há ouvidos, nem paixão, nem correntes de atroz.
Então vagos laços de cetim afrouxam-se. Dispo-me...
Emudeço, deito sob o telhado céu, então quietinha ouço os sussurros do coração."

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Registros especiais - Lampejos poéticos


Quero apenas que através das poesias e rimas me leve a esquecer as asperezas desse mundo muitas vezes sombrio e triste.
Às vezes quando abre o seu blogger, fica a olhar a tela e perguntando a si mesmo...
o que postar... o que falar... o que transmitir aos que te seguem...
Pois bem, diga e transmita tão somente o que possui no momento.
E se o momento for de vazio. Poste em letras garrafais... apenas VAZIO...
Poderia escrever mais... Poderia dizer como compartilhar momentos de euforia... de tristezas... de alegrias... de êxtase...
De inúmeras formas e maneiras de vida, mas irei conter-me...
Irei apenas explicitar minha vontade de que quando queremos dizer algo... digamos o que sentimos naquele momento.
(frases suas... CH.)
Momentos especiais...

sábado, 23 de julho de 2011



O amor é carinho
É sorriso, é pranto
É o coração batendo em descompasso
É um querer estar, mas não apenas por estar
É querer ficar, ficar juntinho
Cuidar
Falar, mas saber ouvir
Calar-se às vezes, mas sim para que se possa sentir melhor as batidas do coração

Por isso, choro cantando
Sorrio chorando, amando
Ouço abraçando
Pisco os olhos e posso sonhar toda uma vida
Deito e posso sorrir para as estrela e ter tanto pra contar
e então elas brilham ainda mais
A lágrima que corre pela face não durará mais que esta noite
Amanhã será melhor que o dia de hoje
E esta estrada estará diante de mim
E ainda terei a alma de Ana
Doce e perfumada como as pétalas de flores que jogo neste meu caminho

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Sonho meu...


Esta noite dormirei mais tarde
Ou talvez não durma
Não é insônia que me tira dos olhos o repouso
É o coração que cochicha
Sonda-me os pensamentos
Quer conversar... Quer lembrar
Quer sorrir... Quer chorar
Fiz uma constelação neste céu tão meu, tão seu...
Guardado na gaveta das lembranças estiveram
Sem identidade... Sem face
À procura não sai, não dividi, egoísmo meu...
Em querer-te um tanto bem e só para mim
Fiz-te sorriso e pranto
Fiz-te canção em seresta
E sob minha janela o som do teu violão
Fiz-te amor de meu amor, adorador de minha pele, beijos... Ah tanta coisa...
Amigo, e minhas mãos tocaram teu ombro.
Fiz-me deusa tua... Quantas inspirações...
O coração agora fala por mim o que ainda balbucio
É emoção de ver um sonho tomar forma
São estas as linhas que agora desenham o seu rosto
Não procurei e me encontrastes
Não dividi e me trouxestes em dobro
Estendeste a mão e tocou minha face
Ultrapassaste meu peito e acalentou minh'alma
Não... Eu não quero dormir...
Agora que aqui esta, tão perto
Agora que abriram-me os olhos
Não os quero fechados
Há tanto para sentir
Tanto para saber
Para falar...
Ah querido de minh"alma, sonho meu ...
Durmas e sonhes... E eu estarei aqui dando-te esta noite
Em sentinela velar-te ei o sono...
(

terça-feira, 12 de julho de 2011

FRIA MADRUGADA... (Um presente mais que especial)

Madrugada fria
Tal qual os momentos da vida
Noite escura
Obscura
Sem lua
Sem brilho
Sem melodia
Semi-nua
Faltaram-me a vida
O ar, ânimo,
Senti um aperto n'alma
Então chorei...

(Átila Ibáñez França)



Serena manhã
Os pássaros revoam sobre a alvorada
O gorjear lembram momentos da vida adormecidos e jamais esquecidos
Mas agora trazem em sol maior uma linda cantilena
O sol reluz por entre as frestas
Seus raios penetram o céu
Reluz sobre o jardim
Então da semente nua, faz brotar uma linda flor
Ela sente a vida
O ar que respira vem das tuas inspirações
O coração palpita linhas em segredo
Ela desabrocha
Então a alma transborda
E chora
Doces lágrimas de felicidades

(Ana Claudia Piffer)



sábado, 9 de julho de 2011

Os olhos teus


A cada instante de você e
volto no tempo...
Vi-me empalidecer a face, a voz calar-se num suspiro
mãos trêmulas
Extática, pasma, encantada
fulgores da adolescência
balada
Seu olhar...
Cor mesclada aos globos florescente
Como miragem no crepúsculo
Chama incandescente da lembrança
Página de um delírio primeiro
Chama insana e volta a ascender
Me deste dos teus olhos, me olha
Do teu olhar e me devora
Mira... Tatuagem na retina dos olhos meus
Ah... Foi o encontro do teu olhar
Olhos mais lindos, jamais verei iguais aos teus



Do hoje


Hão-me ainda tantas formas para dizer-te, amo-te, quero que as descubra como uma caixinha de segredos.
O óbvio e a mesmice de outrora, tornam-se encantadoras redescobertas.
As notas musicais envolvem-se e descobrem ao teu sorriso, novos acordes.
Nos teus lábios o sabor das frutas vermelhas, quero degustar do teu beijo o doce deleite de cada uma delas.
A estação multicolorida inspira-se à cor suave de tua pele, e nos teus olhos cores folhas da primavera.
Das frases arquitetadas, moldura de histórias.
A poesia fácil transbordando em mel e da boca ao encontro dos teus ouvidos.
Do desdém de minh'alma que afligia-me
Hoje somente na escrita, inspirações. E aprendo, aprendemos.
Dos confusos descompassos. O toque uníssono do coração junto ao teu peito.
Da intangível perfeição almejada. O simples toque das tuas mãos, teu colo.
Dos tempos que nos foram privados. Os afortunados momentos que nos resgata.
Do destino inserto. O caminho que nos permite retornar um ao outro.

Tempo de amar


Espalho meu corpo sobre a cama, meus olhos se fecham, mas não consigo dormir.

Meus sentidos congelam estes minutos que parecem não passar.

Ansioso como menino levado, o coração não descansa.

Sobre este silêncio delongado, busco em meus pensamentos outros últimos momentos que tivemos.

Então relaxo e como num sonho ouço teus passos vindo ao meu encontro, ouço a maçaneta da porta se abrir.

O perfume exala-se por todo quarto.

Sinto o toque das tuas mãos deslizando sobre meu corpo, como se o quisesse memorizar em detalhes.

Seu sussurrar por entre meus cabelos, tua boca insana implorando por meu beijo.

Teu olhar ardente desejoso, Tuas mãos insaciáveis por minha pele.

Teu corpo sedento sobre o meu.

Hostil as horas parecem minutos,

e nossos corpos num exercício inexausto em busca da ultima gota de deleite , por toda noite.

Então vejo teus olhinhos encontrarem aconchego nos meus braços,

tuas mãos pesadas ao amparo dos meus quadris.

Teu peito suado no encaixe das minhas costas.

Por algum tempo descansa.

O sol nasce, seus raios penetram por entre as cortinas, já é dia.

Então sem que me diga uma só palavra, esta aqui o teu sorriso, teu olhar, teu toque mais doce e encantado, quietinho mas assustado, tanto quanto eu...

O tempo lá fora à espreita nos espera, tem que ser assim.

Mas o nosso tempo a este amor declara, que não se cansa, não cessa e não tem fim.

domingo, 26 de junho de 2011

Soneto de aniversário

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este "AMOR MEU" de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.

(Vinicius de Moraes)


(Intensamente eu... 24/06/1980)

Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso

Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave mistério amoroso,
Cidade de meu andar
(Deste já tão longo andar!)

E talvez de meu repouso...


(Mário Quintana)

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Quando pensares em mim...


Quando pensares em mim...
Sinta o orvalho da manhã caindo em doces gotas sobre tua face
Sinta o calor da lua no frio da madrugada abrasando tua alma
Sinta o vento que passa e leve envolve teu corpo
Sinta intensamente...
E no mais profundo do teu pensamento, da tua lembrança
Sinta teu corpo aconchegado nos braços do meu amor
Adormecido em um sonho que jamais acabou...

(Ana Claudia)

terça-feira, 7 de junho de 2011

Só você


Conduz meus pensamentos com sintonia e leveza

Deixa marcas na memória física de minha alma

Alenta meu peito nos instantes de maior tristeza

Passeia lépida em meus desejos mais intensos

Envolve meus olhos com a doçura indescritível de tua beleza

Proporcionando a vida ter as cores exatas da alegria que se renova a cada instante

De olhos fechados sou escravo incondicional de teus encantos

Povoa minha memória, fragmentos indissolúveis de tua presença

Em espasmos involuntários sinto o calor de tua pele

E o gosto maravilhoso de teus beijos

Fazendo-me reviver na solidão de meus sonhos

A magnitude de adorar você



Um presente especial.