Para ouvir (Aperte play)

Amar você

pura e simplesmente

como uma criança

quando tudo é novidade

Amar intensamente

Amor e amar




Linda história e inesquecível...
O sol e a Lua

Inesquecível...O Sol e a Lua...

domingo, 28 de março de 2010

Semente do amor



Que sejas infindo e simples assim...

Como as conchinhas do mar ao dormires abraçado.

Como o barulho da chuva caindo sobre o seu telhado.

Como as gotas ao escorrerem pelas vidraças de sua janela.

Como o calor dos raios de sol ao te aquecerem depois dela.

Como a singela alvorada ao desenho dos pássaros e suas cantilenas.

Como o néctar das flores ao deguste das abelhas.

Como o chiado do sol ao tocar o mar.

Como lindas borboletas livres a voar.

Como o resplendor da lua ao trazeres à noite fria acalento.

Como o som do farfalhar do trigo no campo ao vento.

Simples, porém intenso ao que possas ser...

Digno serás infindo ao meu bem querer.

Muito além das horas, dias de espera ou mera ilusão.

A verdadeira felicidade será germinada e cultivada,

Aos me deixares regar a semente do amor plantada,

No jardim do seu coração.


segunda-feira, 15 de março de 2010

Minha garota (My girl)


Eu sou assim...
Exatamente assim...
Afinal tenho alma de Ana
Com a leveza de pétalas de flor
Depois de uma tempestade
Volta o sol regateiro à sorrir
E eu que não sou boba
Sorrio junto dele
Afinal o que nos restam são
Simplesmente gargalhadas
Realmente os que me conhecem
Sabem que em meu coração não há espaço para mágoas
E que o perdão e a limpeza da alma
Cabe apenas aos humildes
E agora...
Com alegria ao coração
Vamos embalar nossa emoção
Ao doce som desta linda canção


Junto vai a tradução

Eu tenho a luz do sol num dia nublado
Quando está frio lá fora
Eu tenho o mês de maio
suponho que você diz:O que pode me fazer sentir deste jeito?
Minha garota (minha garota)
Falando sobre minha garota

Eu tenho tanto mel que as abelhas me invejam
Eu tenho uma canção mais doce
Do que os pássaros nas árvores

Refrão:
Bom, eu suponho que você pensa
O que pode me fazer sentir deste jeito?
Minha garota (minha garota)
Falando sobre minha garota

Eu não preciso de nenhum dinheiro, fortuna ou fama
Eu tenho todas as riquezas, baby,
Que um homem possa exigir

Refrão:
Falando sobre minha garota (minha garota)
Eu tenho sol num dia nublado,
Com minha garota
Eu tenho até o mês de Maio,
Com minha garota

Falando sobre minha garota,
falando sobre, ...Minha garota...

É tudo de que consigo falar:
Minha garota...(Falar sobre minha garota...)

Beijos de flor a todos!

Qual causa?...


Houve admiradores de meus dizeres
Ao qual sentiam delicadeza em meus traços desenhados
Gestos de sabedoria
Agora por mais que me inspire em conselhos germinados
Este ser vazio insiste habitar dentro de mim
Me aconchego nos braços do comodismo
Máscara do meu olhar perdido
Distendido sobre o fio do desconhecido
De personagens que eu mesmo crio
Mas nem mesmo acredito
Afinal o que sei da vida?
Senão deste mesquinho e julgo coração meu
O que sei do que se passa dentro dos corações alheios?
Senão das complexas estórias e rostos inspiradores que vejo
E os transformo em rancorosos e deploráveis alardes
Me sinto agradável quanto à trave que imagino-o aos olhos alheios
Sou um incógnita à vagar sem causa
Nem ao menos face tenho
Ao qual me dê à bater
Mergulho cega vazia
Mascarada
Mas se não à minha causa sei qual é
Enlaço a dos ocultos ao meu intento
Quanto mais obstino-me à avistável face ofuscar
Mais teço minha teia a olho nu
Daqueles que podem e me querem enxergar
(

sábado, 13 de março de 2010

Embriaguez





Tens o dom de inquietar meu coração.
Às batidas descompassadas.
De entorpecer minha emoção
Aos pensamentos desvairados
Ao enlear-me os olhos e sentidos nas páginas de você.
Menino levado.
Homem intrigante.
O que és tu afinal?
Qual mundo é este que tu habitas?
Pelo qual sigo labirinto à terra desconhecida.
Uma miragem a turvar-me as retinas.
Um fantasma a atormentar-me das fantasias.
Há em ti...
Ouvidos? Confesso dos meus desejos...
Mãos? Repouso dos meus seios...
Boca? Sacio absorto dos meus beijos...
Maior corpo ao meu? Vigor por sob meu despido arfar...
Delírio escaldante,
Desígnio alucinante,
Suor sobre a pele a me queimar.
Vício sedento a me transtornar.
Dose de excitação a me embriagar.
És tu
Minha ardente loucura
Onde não há abstinência
Ao que devo me conformar
Que deste vício jamais estarei sóbria

quarta-feira, 10 de março de 2010

domingo, 7 de março de 2010

Nossos Parabéns!




Provérbio de Salomão Capítulo 31, do versículo 10 ao 31:

Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias. O coração do seu marido confia nela, e não haverá falta de ganho.
Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida. Busca lã e linho e de bom grado trabalha com as mãos.
É como o navio mercante: de longe traz o seu pão. É ainda noite, e já se levanta, e dá mantimento à sua casa e a tarefa às suas servas.
Ela percebe que o seu ganho é bom; abre a mão ao aflito; e ainda a estende ao necessitado. Não teme a neve, pois todos andam vestidos de lã escarlate. Faz para si cobertas, veste-se de linho fino e de púrpura.
Seu marido é estimado entre os juízes, quando se assenta com os anciãos da terra.
Ela faz roupas de linho fino, e vende-as, a força e a dignidade são os seus vestidos, e, quanto ao dia de amanhã, não tem preocupações.
Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua. Atende ao bom andamento da sua casa e não come o pão da preguiça.
Levantam-se seus filhos e lhe chamam afortunada; seu marido a louva, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas dominas.
Enganosa é a graça, e vã, a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada. Dai-lhe do fruto das suas mãos, e de público a louvarão as suas obras.



Parabéns!

Maravilhosas mulheres

Que neste lindo dia que nos apruma

Tal como uma pluma

Que a paz nos seja leve



Beijos de uma para todas as outras flores!

Fada ou bruxa?...


Que ao inverso de uma fada,
Ao dar-lhe amor encantado.
Faças de mim uma bruxa,
Ao dar-lhe desgosto enfeitiçado.
Que ao inverso de uma flor perfumada,
Faças de mim um cardo despresado.
Diante ao deguste de frases e pensamentos,
Que de outrora pareciam-lhes tão doces contentos,
E agora dizem-se transformados em amargos lamentos.
Não cabe a mim indagar.
Pois sei quem sou, um ser tocável ao extremo sentimento.
E que fique esta escolha ao teu intento,
Imaginar ...
O que há por detrás a esta imagem que vês...
Pois fechar-se os olhos defronte ao espelho é refugiar-se.
Não é viver
Que meus pensamentos passem a vagar desgarrados de mim.
Assim deixo que minhas preocupações
Vão se indo...
Vão se indo...
(Ana Claudia* Ana Flor)
"Mas a minha tortura inda é maior:
Não ser poeta assim como tu és.
Para gritar num verso a minha dor!..."
(Florbela Espanca)

sábado, 6 de março de 2010

MEUS VERSOS...





Ah meus versos...
Quão tristes são meus versos...
Contentes se vão...
Diante a tua privação
Triste vazio é o regresso
Por meu infindo amor inconfesso
Quão tristes são meus versos...
Nasceram de ti,
crepitantes olhos
Qual sol poente ao final do dia
Quão tristes são meus versos...
Ao oculto dos teus olhos
Esvanecem-se
E jazem solitários a vagar
Dentro de mim
Lastimam-se a chorar
Por saudades de ti

quinta-feira, 4 de março de 2010

Pássaro Lírico


Há um pássaro com lindas plumagens de cores distintas
Vez em quando ao nascer da alvorada beleza infinda
Alça voo rumo a árvore de flores alvo singela
Defronte a minha janela
E com subtileza
Assenta-se com porte de realeza
Virtuoso pássaro que de olhos vidrados
Ao instigo de meu olhar desconsolado
Entoa sua cantilena de pássaro com sopranos de um lírico
Por vezes afortunado
Por vezes entristecido
Fecha-me os olhos
Aguça-me os ouvidos
Envolto a insinuante sintonia
Bailo ao doce sonoro da melodia
Finda ópera primorosa do pássaro plausível
Antes que possa eu o avistar
Voa relusindo-se traçando o céu do impossível
Pousa sobre o pináculo de sua morada
Eu adormeço neste mosteiro enclausurada
Abraçada ao intangível
A espera de uma próxima e infinda alvorada




terça-feira, 2 de março de 2010

Minha florsinha (Lucas)




Nasceu no meu quintal
Depois de um vendaval
De pranto

Regado com amor
Singelo como a flor
Do campo

O que mais posso sonhar
Ao ver o teu olhar
Risonho

No colo te afagar
Fazer você ninar
Meu sonho

Me resgatou contento
Quando o teu olhar brilhou
Ao coração meu

Me sanou sofrimento
Quando minha florzinha brotou
Das mãos de Deus

Ah meu anjo criança
De inocência tanta
Tua mão
Me ensina

A brincar de viver
Pra sempre ei de ser
Tua mãe
Amiga


Meu filho, enquanto houver vida em mim, eu viverei pra te amar.
Pois Deus me permitiu viver àquele momento tão doloroso para que eu desse vida à você.
E escolheu você para estar ao nosso lado por ter planos em nossas vidas.
Jamais macule teu coraçãozinho com perguntas que só cabem a Deus responder e ele
sabe o que é melhor para todos nós.
Não se preocupe jamais quanto a outra florsinha que germinou junto à você. Pois tenho certeza no fundo do meu coração, que ela esta feliz vivendo no jardim de Deus. E não se preocupe também quanto as próximas florezinhas que ainda estão por germinar, pois Deus saberá a hora certa de nos dar mais este presente. Assim como você que é a flor mais singela do meu jardim.

Deus obrigada, pois mesmo quando me faço por não merecer de tudo quanto fizeste por mim, sempre sinto tua mão estendida em minha direção.
Obrigada por nos permitir viver.

segunda-feira, 1 de março de 2010