Para ouvir (Aperte play)

Amar você

pura e simplesmente

como uma criança

quando tudo é novidade

Amar intensamente

Amor e amar




Linda história e inesquecível...
O sol e a Lua

Inesquecível...O Sol e a Lua...

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Anjo meu



Semeio beijos...desejos e colho dia após dia, flores de paixão infinda.
Este ser celeste, como se meu riso perfilhasse nas recordações. Fixamente fascinando fita-me. Penetra fulgores no olhar, despindo minh'alma.
Vem e provemos d'amores, distendido à luxúria dos humanos.
Que se não desprenda de sua essência. 
Vem de galope sobre suas asas, na argúcia das tuas lembranças.
Trazendo nas mãos a lua que me destes.
Ultrapasse as tempestades do tempo, então o caluje do desejo deixo-te entreaberta. Palavras raras soam harmoniosas, sustento ao coração. 
E bebemos em taças lúbricas haustos, nossos lábios devoram paixão.
Prove que na astúcia e tormenta de olhar humano, lágrimas correm sobre tua face... OH Anjo meu...
Então eu as enxugo com minhas madeixas. Abro meu colo e deito-te sobre meu seio pardo, içado. E sobre o resplandecer da lua, cubro-te à minha guarda de flores.
Entendas que dor de âmago, adormece e renasce ainda mais veemente.
Ultrapassa eras, tempos com a força de um doce sonhar, desejar e então desperta. Pelo simples acreditar que a semente ainda esta lá. 
Tu vens e num beijo de amor desfalecem-se nossas almas.

Então despertas em meu leito enlevado... Imensidão de oceano, vasto céu azul, que deste infindo espaço... Mar e maresias, entre astros e estrelas, tempos e tempos, tu és únicos... És anjo... Anjo de meu amor. 

terça-feira, 12 de abril de 2011

Em estado de paz














No balouçar... tic-tac,

Tic...Tac... Das horas

Há um querer, um pouco menos que um querer saber

E ainda assim um pouco menos

O tic-tac já não me angustia expressão na face

Vem-me simplesmente, como meiga brisa

Cinzelado a este estado ao qual não o sei dizer

E o que me importa o querer saber, tarde jaz...

Se o menos, apenas me é um nada

O importante é o que esta em mim...

Doce oferta me é um riso

Este que vem reflectido no suspirar profundo de minh'alma

Que seria este estado agora?

Que a resposta esta caiba aos Deus, quanto à este vasto estado de graça

Em inspirações aveludadas

Pelos tinos olhos de um cego

Pelas castas palavras de um mudo

Ah... Que me ouças tufão nos ouvidos de um surdo

Que primor sem aroma é amar e não se dar

Em quietude e serena magia

Trago flores níveas nos braços

Com perfume de paz

Em estado de poesia





(É um estar em mim...)


quinta-feira, 7 de abril de 2011

Poesia


Minha poesia...
É a alma que transborda em bálsamo
Esparzindo sobre as entrelinhas




Sou a inspiração
Sou o quadro

A tinta nas suas mãos
Sou o texto

Sou artista

A sua história vivida

Sou a letra

A poesia

Faz de mim sua inspiração...

E eu vivo

Sou eu na rua

No palco
Nos aplausos

Sou eu dentro da sua casa

Percorrendo suas veias
E você enclausurado

Agarrado em minhas teias

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Mulher

Aperte play para ouvir (Cry - Rihanna)



Na força e delicadeza da face por detrás do véu
Na suavidade do caminhar de gata
Na indomável habilidade de fera devassa

Nas asas de borboleta livre pairando no céu

No acalento resplandecente da lua
Na relva selvagem da mata nua

No pungente néctar mesclado ao mel
Na música

Na dança

Na letra

Na poesia

Na essência

Na flor

Exelência em ser do amor
Nas mãos sabedoria e brandura

Passos luta

Intermitente onde estiver

Na voz blandícias e bravura

Em simplesmente ser

Mulher

terça-feira, 5 de abril de 2011

Você não é perfeito

Aperte play para ouvir (Eu só sei amar assim - Zizi Possi)


"Ah, meu amor, até quando essa sua passiva impaciência..."

Esta tudo bem...
Estou tranquilo...
Sempre fico por que não agora?
Preciso arrancar o relógio do pulso, fazer de cada minuto uma ocupação, focar a atenção que de mim depende. Simplesmente não pensar...
Não hoje! Não agora!
Preciso sair um pouco, quem sabe sentir o vento tomando meu rosto, fugir de mim... Respirar e não desejar inspirar teu cheiro.
Não hoje... Não agora...
Mas onde estará meu amor?...
Quem sabe conversar um pouco, e na rua encontrar alguém, um amigo, me distrair tomar meu chimarrão e ouvir qualquer conversa banal.
Qualquer desculpa e não lembraria da tua voz.
Voz que me arranca os pés do chão, ultrapassa meu eu...

Qualquer aperitivo, paladar e não sentiria teu gosto.
Não hoje... Não agora...
Preciso tomar uma dose... Preciso tomar outra dose...
Não há nada e ninguém nesse momento que possa me consumir dessa vontade de você.
Não posso com o meu inconsciente...
Porque nele não há mais vazio, tua lembrança dança
e brinca nesse espaço e a cada milímetro...
Nem sei quantas doses...
Que horas são?

Meu coração já absorto, salta do peito indiferente ao medo e a todas as razões. Minhas mãos já não me obedecem, meus dedos teimosos cravam-se nas teclas e chamam por você... Querem você...
Na tua voz, teu cuidado, saudade, carinho...
Me prova o quanto esta aqui. E sei o quanto estou ai...
Me deseja em cada sentido do seu corpo.
Meu cheiro, meu gosto, minhas palavras estão contidas dentro de você.

E por que dedilha minha segurança, meu auto-controle?
Em minha voz, loucura minha... Te quer... Sem demora...
E a música toca, a letra que ouvi tantas vezes, mas ela soa tão doce no meu pensamento. Não pode estar diferente. Eu canto pra você, enquanto a ouve. Passo pela mesma rua mil vezes e canto incansavelmente, até você perceber o quanto ela fala de mim, o que eu preciso, mas ainda não sei dizer...
Então você vem... Mansa... Toda minha...
Me provoca e me prende aos galhos do teu leito de flor voluptuosa e adocicada. E no gozo deleite do teu ventre, feito menino tremo e desprotegido te abraço, me abraças...
Eu me rendo... Me entrego...


"Quando todo seu tempo parece cronometrado, tantos afazeres... Parece tudo certo e organizado na sua cabecinha. E eu redemoinho a embarlhar suas horas, sua quietude, sua paz. Quero fazer-te exatamente assim... Imperfeito para o mundo e perfeito pra mim."