Para ouvir (Aperte play)

Amar você

pura e simplesmente

como uma criança

quando tudo é novidade

Amar intensamente

Amor e amar




Linda história e inesquecível...
O sol e a Lua

Inesquecível...O Sol e a Lua...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Você não é perfeito

Aperte play para ouvir (Eu só sei amar assim - Zizi Possi)


"Ah, meu amor, até quando essa sua passiva impaciência..."

Esta tudo bem...
Estou tranquilo...
Sempre fico por que não agora?
Preciso arrancar o relógio do pulso, fazer de cada minuto uma ocupação, focar a atenção que de mim depende. Simplesmente não pensar...
Não hoje! Não agora!
Preciso sair um pouco, quem sabe sentir o vento tomando meu rosto, fugir de mim... Respirar e não desejar inspirar teu cheiro.
Não hoje... Não agora...
Mas onde estará meu amor?...
Quem sabe conversar um pouco, e na rua encontrar alguém, um amigo, me distrair tomar meu chimarrão e ouvir qualquer conversa banal.
Qualquer desculpa e não lembraria da tua voz.
Voz que me arranca os pés do chão, ultrapassa meu eu...

Qualquer aperitivo, paladar e não sentiria teu gosto.
Não hoje... Não agora...
Preciso tomar uma dose... Preciso tomar outra dose...
Não há nada e ninguém nesse momento que possa me consumir dessa vontade de você.
Não posso com o meu inconsciente...
Porque nele não há mais vazio, tua lembrança dança
e brinca nesse espaço e a cada milímetro...
Nem sei quantas doses...
Que horas são?

Meu coração já absorto, salta do peito indiferente ao medo e a todas as razões. Minhas mãos já não me obedecem, meus dedos teimosos cravam-se nas teclas e chamam por você... Querem você...
Na tua voz, teu cuidado, saudade, carinho...
Me prova o quanto esta aqui. E sei o quanto estou ai...
Me deseja em cada sentido do seu corpo.
Meu cheiro, meu gosto, minhas palavras estão contidas dentro de você.

E por que dedilha minha segurança, meu auto-controle?
Em minha voz, loucura minha... Te quer... Sem demora...
E a música toca, a letra que ouvi tantas vezes, mas ela soa tão doce no meu pensamento. Não pode estar diferente. Eu canto pra você, enquanto a ouve. Passo pela mesma rua mil vezes e canto incansavelmente, até você perceber o quanto ela fala de mim, o que eu preciso, mas ainda não sei dizer...
Então você vem... Mansa... Toda minha...
Me provoca e me prende aos galhos do teu leito de flor voluptuosa e adocicada. E no gozo deleite do teu ventre, feito menino tremo e desprotegido te abraço, me abraças...
Eu me rendo... Me entrego...


"Quando todo seu tempo parece cronometrado, tantos afazeres... Parece tudo certo e organizado na sua cabecinha. E eu redemoinho a embarlhar suas horas, sua quietude, sua paz. Quero fazer-te exatamente assim... Imperfeito para o mundo e perfeito pra mim."

Um comentário: